Sem categoria

A Luta contra privatização da Eletrobras deve ser uma bandeira unificada

Por em 11/06/2018

Com o lema ‘Unidos Somos Mais Fortes’, somei nas atividades de paralisação de 72 horas dos eletricitários. O objetivo é o enfrentamento contra a proposta de privatização da Eletrobras, que tem uma das causas a demissão em massa de trabalhadores.

A privatização faz parte do pacote de retrocessos que o Governo ilegítimo tenta aprovar no Congresso Nacional. Com a privatização as tarifas dos consumidores residenciais podem aumentar em mais de 10%. Além disso, nossas maiores hidrelétricas, rios e mananciais ficarão nas mãos de empresas estrangeiras.

O impacto da privatização afeta ainda mais o meio rural. A energia chegou na casa de muitos agricultores e agricultoras familiares depois do programa Luz Para Todos. Com a Eletrobras na mão de estrangeiros uma das primeiras ações será o fim de políticas sociais como estas que beneficiaram inúmeras famílias.

Essa é uma questão nacional, não é apenas dos eletricitários. O Brasil precisa acordar e unificar a luta contra a privatização, pois quem mais vai perder com ela é o povo.

TAGS
PUBLICAÇÕES RELACIONADAS

COMENTE

Elisângela Araújo
Bahia, BR

Agricultora familiar e diretora executiva da CUT Nacional e coord. da CONTRAF BRASIL e do Fórum Baiano da Agricultura Familiar participa de atividades em defesa da classe trabalhadora e por políticas públicas que tragam a vida digna para o campo.

Facebook
Facebook By Weblizar Powered By Weblizar