Sem categoria

Ações em Miguel Calmon irão fortalecer agricultura familiar e agroecologia da região

Por em 16/06/2018

No município de Miguel Calmon, no semiárido baiano, participei do encontro de lideranças comunitárias, sindicais e com agricultores familiares do Território Piemonte da Diamantina, para debater iniciativas que consolidem, cada vez mais, o modelo de Agricultura Familiar baseado na produção de alimentos saudáveis.

A localidade é modelo de produção de alimentos agroecológicos e orgânicos. A agricultura familiar da região já é conhecida, inclusive por sua Feira que reúne a produção de 15 municípios do território, gerando trabalho, renda e economia por meio das exposições e comercialização dos produtos.

Para fortalecer essa produção a Cooperativa de Trabalho e Assistência à Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (COFASPI), assessora, desenvolve atividades e executa diversos projetos junto as famílias, na construção de um semiárido justo, rico em biodiversidade aliado a agroecologia, a economia solidária e promovendo a autonomia dos trabalhadores e trabalhadoras do campo.

Na ocasião, na roda de conversa destaquei a importância da agricultura familiar e o papel fundamental que ela possui para consolidar o modelo de produção agroecológica. O deputado Marcelino Galo, também esteve presente e abordou sobre as leis de iniciativa do legislativo da Bahia que fomentam a produção sustentável a preservação e conservação o meio ambiente.

Ainda, Wilson Dias, diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), falou sobre o projeto referente a construção do Sistema de Abastecimento de Água na comunidade rural de Sapucaia, que vai beneficiar 100 famílias. Segundo ele, o objetivo é fazer 1.000 sistemas em 60 municípios até 2021.

No debate, tivemos uma participação especial, do Sr° Antônio dos Santos Filho, presidente da Associação de Produtores Rurais de Sapucaia. Como a região está situação no polígono da seca, ele destacou que as ações de convivência com o semiárido e o apoio das organizações desde a assistência técnica à captação de água são essenciais para que os trabalhadores e trabalhadoras do campo mantenham a produção, principalmente no período da estiagem.

Também participaram do evento representantes da Rede de Feiras Agroecológicas Solidárias do Piemonte da Diamantina (REFAS) e da Associação Quilombola do Mocambo dos Negros Itapura e Adjacências.

TAGS
PUBLICAÇÕES RELACIONADAS

COMENTE

Elisângela Araújo
Bahia, BR

Agricultora familiar e diretora executiva da CUT Nacional e coord. da CONTRAF BRASIL e do Fórum Baiano da Agricultura Familiar participa de atividades em defesa da classe trabalhadora e por políticas públicas que tragam a vida digna para o campo.

Facebook
Facebook By Weblizar Powered By Weblizar